M0N0

Na Lava Jato, pedidos para condução coercitiva superam prisões preventivas e temporárias somadas

Arquivado em Brasil | tags: Lava Jato, corrupção, pedidos de prisão, judiciário, direito | Compartilhe


Gráfico principal

Descrição

A operação Lava Jato possui mais pedidos de condução coercitiva do que pedidos por prisões temporárias ou preventivas, de acordo com análise do Volt Data Lab.

Nas 37 fases da operação, assim como em desdobramentos, os pedidos de coercitivas já totalizam 202, enquanto preventivas e temporárias, somadas, totalizam 188.

coercitivas temporárias preventivas
202 99 89

Note que o total de pedidos supera o número de pessoas efetivamente levadas para depor ou presas, já que às vezes o mesmo investigado pode ser alvo de pedidos diferentes. Dessa forma, foram 390 pedidos feitos à Justiça para 359 pessoas.

O juiz federal Sergio Moro há tempos tem sofrido críticas por aceitar muitos pedidos de prisão do Ministério Público no âmbito da Lava Jato, sejam eles de prisões preventivas, temporárias e até conduções coercitivas - quando o investigado é levado para prestar depoimento, mas não preso, como foi o caso do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em 04 de março de 2016.

Mais recentemente, o ministro do Supremo Tribunal Federal Gilmar Mendes bateu de frente criticou essa postura, levando o juiz a rebater. A Lava Jato já soma 87 condenados em primeira instância, com quatro absolvidos em segunda instância.

Referências