M0N0

Brasil melhora burocracia para abrir empresa, mas ainda está longe de concorrentes

Arquivado em Empresas | tags: burocracia, negócios, startup | Compartilhe


Gráfico principal

Descrição

A burocracia brasileira para se abrir um negócio melhorou significativamente desde 2003, conseguindo sair do famigerado do rol dos 10 países com mais procedimentos necessários para se instituir uma empresa.

No entanto, as coisas ainda estão longe de ser fáceis por aqui, e o Brasil ainda está bem abaixo das médias mundial e da América Latina nesse quesito, ficando entre os 30 países com maior número de exigências.

Para legalizar um negócio no Brasil, atualmente são necessários 11 procedimentos, entre autorização, registro, alvará, notificações etc. É mais do que o dobro dos Estados Unidos, por exemplo, e quase duas vezes a média mundial, e cerca de 25% a mais do que o México.

Isso resulta em uma média de 80 dias para se abrir uma empresa no Brasil, colocando o país em 175º lugar no ranking do Banco Mundial para se fazer negócios (entre 190 países). Nova Zelândia, Canadá e Hong Kong (território da China) são os três primeiros, na respectiva ordem.

O número de procedimentos é significativo porque mostra o peso da burocracia sobre o empreendedorismo.

No entanto, não necessariamente impacta no tempo de abertura de um negócio. A Argentina, por exemplo, exige 14 procedimentos, mas o tempo médio de abertura é de 25 dias.

Países com mais de 10 procedimentos para abrir um negócio, em 2016

  país 2003 2010 2016
1 Venezuela 16 19 20
2 Guiné Equatorial - 18 17
3 Filipinas 17 17 16
4 Argentina 13 14 14
5 Bolívia 14 14 14
6 Etiópia 12 11 14
7 Eritréia - 13 13
8 Índia 13 14 13
9 Arábia Saudita 18 13 13
10 Sudão do Sul - - 13
11 Suriname - 13 13
12 Uganda 17 16 13
13 Bósnia Herzegovina 12 13 12
14 Argélia 14 13 12
15 Haiti 13 12 12
16 Kuwait 13 13 12
17 Paquistão 13 12 12
18 Suazilândia - 12 12
19 Brasil 17 13 11
20 Rep. Congo 11 11 11
21 Equador 14 13 11
22 Fiji 7 8 11
23 Honduras 12 12 11
24 Indonésia 13 11 11
25 Myanmar - - 11
26 Sudão - 11 11
27 R. Centro Africana 11 9 10
28 Líbia - - 10
29 Moçambique 15 10 10
30 Namíbia 10 10 10
31 Cisjordânia e Gaza - 12 10
32 Zimbábue 10 10 10
Fonte: Banco Mundial/Doing Business Project

Referências